15 de abril de 2015

Gabriel Milito é o novo treinador do Estudiantes de La Plata

Texto para o site Futebol Portenho



Em meio a um momento decisivo na disputa da Copa Libertadores da América, o Estudiantes anunciou nesta quarta-feira a troca de seu treinador. Mauricio Pellegrino deixou o cargo após quase dois anos a frente da equipe e o presidente Juan Sebastian Verón anunciou Gabriel Milito como seu substituto. Será a primeira experiência do ex-jogador a frente de uma equipe profissional.
No pequeno intervalo entre a saída de Pellegrino e o anúncio de Milito, ventilou-se na imprensa argentina o nome de Alejandro Sabella, campeão da Libertadores com o Estudiantes em 2009, mas ele recusou o convite. De acordo com o diário Cielo Sports de La Plata, Verón e Milito selaram o acordo num almoço nesta quarta-feira, quando ficou definido que o ex-zagueiro será apresentado amanhã em City Bell e deve estrear a frente da equipe principal contra o Barcelona de Guayaquil no próximo dia 21 pela rodada decisiva da Copa Libertadores da América. Antes, na sexta, o Estudiantes enfrenta o Rosario Central pelo Campeonato Argentino e será comandado por Nelson Vivas, treinador da equipe inferior.
Gabriel Milito tem 34 anos e se aposentou há dois, quando atuava pelo Independiente, alegando não suportar mais a sequência de contusões. Ele ainda defendeu o Zaragoza e o Barcelona e disputou a Copa do Mundo de 2006 pela Seleção Argentina. Como treinador, sua única experiência foi dirigindo a equipe inferior do seu time do coração, o Independiente de Avellaneda.
Pellegrino
O trabalho de Mauricio Pellegrino já estava sendo contestado pela torcida e a gota d’água veio com a derrota frente ao Tigre por 2×0 na última rodada do Campeonato Argentino, que deixou o time na 16ª posição com apenas 9 pontos conquistados em 9 rodadas. Para o treinador, sua saída foi injusta, mas esperada. “Havia uma desconexão com a diretoria. Nas últimas semanas foi criada uma atmosfera que me prejudicou a frente dos jogadores, mas saio levando coisas boas e desejo sorte a equipe daqui em diante”, concluiu. A frente do Estudiantes, Pellegrino teve um retrospecto de 95 jogos, 39 vitórias, 26 derrotas e 30 empates. Em seu período como treinador, ele foi responsável pelo surgimento e afirmação de jovens como Rulli, hoje no Real Sociedad da Espanha, Correa e Guido Carillo.