25 de julho de 2015

Guia da Segunda (3ª) Divisão Mineira

Começa neste domingo a mais alternativa competição do Futebol Mineiro: a SEGUNDA DIVISÃO. 

Tecnicamente, é a terceira, a última barreira do profissionalismo no estado, mas a Federação Mineira de Futebol, insiste com o nome, talvez pela maior valorização ou apelo do campeonato. Este ano, o torneio traz como grande novidade, a adoção do SUB-23 como forma de oportunizar novos talentos e revelar mais atletas para o cenário mineiro e nacional. Mas cada equipe conta com a "cota" de cinco atletas acima desta idade para a composição do elenco.

Assim como fizemos anteriormente no blog com a Primeira Divisão e o Módulo 2, trazemos a análise do grande Wilson MANULA, o maior conhecedor do futebol mineiro em todas as suas categorias. A partir de agora, Manula traz todos os detalhes de time por time:


GRUPO A


SIDERÚRGICA
Sabará


A Tartaruga de Sabará, campeã mineira em 1937 e 1964, volta ao profissionalismo depois de 2 anos afastada. Como o estádio da Praia do Ó está em condições precárias, o time jogará no Israel Pinheiro em Itabira. As aspirações são modestíssimas. O presidente Gilberto Evangelista teve muita dificuldade pra viabilizar a participação do clube. Único jogador mais rodado é o lateral Nathan

Equipe Campeã Mineira de 1964: os dias de glória ficaram bem no passado

Palpitômetro:  Saco de pancadas. Deve ser o lanterna da chave. Cada ponto (se) conquistado, deve ser comemorado.



NOVO ESPORTE
Ipatinga



Disputando a Segundona pelo 3º ano consecutivo, o clube de Ipatinga dessa vez vem mais bem estruturado. O técnico é  Pretinho da Matta (irmão do conhecido  Ney da Matta). Usa base da SER Panambi, clube da Segunda Divisão gaúcha (vieram de lá o goleiro Gustavo, lateral Igor, meia Leonardo e atacante Douglas Esquilo). Destaque é o zagueiro Erick (ex-Treze PB e revelado na base do Cruzeiro).

Palpitômetro: Deve avançar ao hexagonal final. Mas dificilmente lutará pelo acesso.



PONTE NOVA FC
Ponte Nova




Estreante no profissionalismo, o Ponte Nova FC promete agitar a terra natal do craque Reinaldo. Entretanto, vai mandar seus jogos no Estadio Caetano Cenachi Neto em Rio Doce. O técnico é Vander Luís, meio campista do Atlético nos anos 80.

Esse é o Vander Luiz em seus tempos de Atlético

Palpitômetro: Deve tirar pontos importantes dos favoritos e até ameaçar vaga do Novo Esporte no Hexagonal. Mas provavelmente para na 1ª fase.



VALÉRIO
Itabira



O tradicional Dragão Itabirano tenta novamente sair da Segundona. Comandado pelo Diretor Amarildo Ribeiro (ex-Nacional de Nova Serrana), o VEC aspira o acesso. O técnico é o experiente Wantuill Rodrigues, especialista em trabalhar com jovens atletas. Seu fiel escudeiro será Léo Medeiros, campeão mineiro em 2005 pelo Ipatinga que encerrou a  carreira recentemente. O talentoso meia Marquinhos (ex-base do Cruzeiro) está no grupo, que conta também com Marcelinho, Ulisses, Willians Jr e David Silva, emprestados pelo América. O goleiro é Jordan (ex-Tupi) e ainda conta com o atacante Luis Felipe (ex-Vitória) e o habilidoso meia Joubert (ex-Guarani e Mamoré).

Wantuill Rodrigues: experiência pra tirar de vez o Valério do limbo

Palpitômetro: Vai brigar pelo acesso. Montado com ajuda do excepcional Thiago Freitas, o VEC tem camisa, história e torcida fanática. Mira não só a promoção ao Modulo II, mas também o título.



UNIÃO LUZIENSE
Santa Luzia




Voltando ao campeonato depois de longa ausência, o simpático clube de Santa Luzia já viveu dias melhores. Contando basicamente com jogadores oriundos das ligas amadoras, o técnico Rogério Rodrigues (ex-Castelo ES) pouco poderá fazer. Jogos no estádio da Frimisa são sempre um programa interessante.

Campo da Frimisa em Santa Luzia: o reduto mais alternativo da região metropolitana de BH

Palpitômetro: Coadjuvante. Dificilmente superará outro adversário que não o Siderurgica.




GRUPO B


ARSENAL
Santa Luzia



Eterno figurante na Segundona, o Arsenal, clube do presidente “faz tudo” Ozias Rodrigues, está novamente na disputa (pelo 6º ano consecutivo). Vai mandar seus jogos na Arena do Jacaré em Sete Lagoas. A última vitória do clube foi no longínquo ano de 2011. Acumula 25 jogos oficiais sem vencer. O destaque é o atacante Henrique (ex-base do Villa Nova).

Palpitômetro: Saco de pancadas. Deve completar mais um ano sem vencer ninguém.



BETINENSE
Betim


Esse escudo... conheço de algum lugar, hein?

Procurando repetir a boa campanha de 2014 (chegou ao hexagonal final), o Betinense do presidente Junior André Santos, contará com boa parte dos atletas utilizados no mineiro sub 20, onde foi comandado pelo técnico Elias Moisés, o popular Boi. Vai mandar seus jogos na Arena do Jacaré em Sete Lagoas.

Essa camisa... conheço de algum lugar, hein?

Palpitômetro: corre por fora; caso os favoritos vacilem, pode surpreender e chegar ao hexagonal.



DEMOCRATA
Sete Lagoas





Com uma das camisas mais fortes do torneio, o centenário Jacaré Setelagoano vem forte em 2015. O técnico é Jurandy Gama Filho (professor da UFMG). Conta com nomes conhecidos como goleiro Gustavo Rangel (ex-Coimbra e Guarani), zagueiro Álvaro (ex-Atlético), meia China (ex-América), armador Ramon Osni (ex-Atlético/Corinthians/Flamengo/CSKA) e o atacante André Dias (ex-Cruzeiro e Santa Cruz).

Na Seleção Sub-17, Ramon foi uma das grandes promessas
Palpitômetro: O Jacaré busca o acesso. Deve passar com certa tranqüilidade ao hexagonal. E aí começa o verdadeiro desafio.



FIGUEIRENSE
São João Del Rei




Projeto do ex-jogador Fábio Mineiro, o Figueira coloca novamente São João Del Rei no mapa do futebol profissional. O técnico é o gaúcho Luis Henrique Arantes (ex-Inter da Paraíba). Tem no grupo dois colombianos: o zagueiro Ramires e o meia Guerrero, além dos experientes Beto (ex-Ipatinga) e Adriano Jr. (ex-CAP Uberlandia). Vai jogar no estadio Paulo Campos.

Beto: Jogando em sua cidade natal, é a estrela da companhia

Palpitômetro: Coadjuvante. Dificilmente superará algum adversário que não o Arsenal.



FORMIGA
Formiga




O FEC está de volta com força total. Terá o mando de campo mais temido do torneio, com a fanática torcida transformando o acanhado estádio Juca Pedro em um autêntico alçapão. O técnico é Gerson Evaristo (subiu o Minas Boca em 2012 e 2013). Tem os experientes Cristiano (ex-goleiro do Social), Pedro Ari, Leandro e Vaguinho (todos ex-Villa Nova), Radar (ex-Mamoré), Gleissinho (ex-Social). Atacante Thiago Pereira (ex-Araxá) é o destaque.

Estádio Juca Pedro: o "inferno"

Palpitômetro: Mira o acesso. Deve passar sem sustos pela 1ª fase. Pode ser a agradável surpresa do torneio.


Nota do Alexandre Silva: Jogar no Juca Pedro é UMA DESGRAÇA. Quando o Manula diz que é o pior mando de campo do torneio, acreditem. Em 2010, quando trabalhei no Guarani, o Formiga "criou" uma rivalidade com o Bugre por algum motivo (a única explicação plausível é a proximidade de Formiga com Divinópolis). Perdemos pra eles os dois jogos na primeira fase. Os caras eram os "favoritaços". Imbatíveis no Juca Pedro.
Na segunda fase vencemos no Farião por 1 x 0. No returno empatamos em 1 x 1 (como pode ser visto clicando aqui) e deixamos eles de fora da Elite, que estava esperando pelo retorno da grandeza do Guarani :)
Mas boa sorte pro Formiga... rsrs




GRUPO C

UBERABA
Uberaba




Camisa mais pesada do campeonato, é um dos fortes candidatos ao título. Tem o técnico Luiz Eduardo (o Rei do acesso em MG, com 19 promoções nas 2ª e 3ª divisões). O goleiro é o seguro Giuliano (ex-URT); o experiente Balduino comanda o meio campo. Lateral Fayllon (ex-MOC) e atacante Rudimar (ex-Tricordiano) são os destaques.

Balduíno sem Uberaba: Buchecha sem Claudinho

Palpitômetro: um dos favoritos ao acesso. Torcida do Zebu não tolerará nada menos que o sucesso.



COIMBRA
Belo Horizonte



Acostumado a ser mero figurante, dessa vez o Esquilão vem mais animado. Abandonou o caótico Villa Nova e fez parceria com o Uberlandia, campeão do Modulo II. Vai jogar no Parque do Sabiá. Do UEC, vieram o goleiro Clebão, meia Alê e Marcos Nunes, além do técnico China. Conta com a competência do experiente gerente Marão (ex-Atlético).

Palpitômetro: Embora venha melhor em 2015, Coimbra deu azar no chaveamento; estivesse em um dos outros dois grupos, poderia avançar. Na chave do Triangulo, dificilmente superará a 1ª fase.




ATLÉTICO ITUIUTABANO
Ituiutaba



Após tentativa frustrada de mudar o nome para Atlético Pontal, o clube abandonou Ituiutaba e vai mandar seus jogos no estádio Pedro Macedo (o Marretão) em Frutal (há 200km de Ituiutaba). O Galo triangulino será comandado pelo técnico Zé Humberto (conseguiu o acesso com o Itumbiara em Goiás). Conta com o experiente  Flavio Moranga (ex-Araxá) no gol; Gilson Bahia (ex-Ituiutabana) na zaga e o meia Esquerdinha (ex-Mamoré).

O curioso caso dos times de Ituiutaba que não jogam em Ituiutaba. Essa da foto é Frutal

Palpitômetro: Pode surpreender. Mas dificilmente passará pela 1ª fase.



NACIONAL
Uberaba


Campeão da Segundona em 2013, o Naça acabou sendo novamente rebaixado ano passado. Trouxe os veteranos Fabio Noronha (39 anos, ex-Democrata GV) pro gol, Dalmo (31 anos, ex-Araxá) para o ataque e Anderson Toto (32 anos, ex-Trocentos e Doze times). Tem ainda o meia Meia Marquinhos (participou do titulo do Joinville na série B 2014). O técnico é Leo Goiano.

Fábio Experiência Noronha: segurança no gol do Naça
Palpitômetro: Olho no Nacional! Maior candidato a surpresa (ao lado do Formiga), pode surpreender e conquistar o acesso.




ESPORTIVA GUAXUPÉ
Guaxupé



Depois de conseguir o acesso no campo e perdê-lo no Tapetão em 2013, a Esportiva aposta novamente no técnico João Carlos (ex-zagueiro de Cruzeiro e Corinthians). Tem no grupo o rodado Adriano Lobinho (35 anos, ex-Atlético), o meia Leo Caxeta (ex-Minas de Sete Lagoas). No gol está Matheus (ex-Araxá) e na frente o atacante Nivaldinho (ex-Villa Nova).

João Carlos tem a missão de conduzir a Guaxupé ao caminho do sucesso

Palpitômetro: Sonha com o acesso. Pode chegar ao hexagonal e assim como em 2013, surpreender. É aposta válida.


Apresentados todos os candidatos, que os jogos comecem...
A tabela completa você vê AQUI

A mais alternativa competição das Minas Gerais, está aberta!