27 de janeiro de 2017

Guia do Campeonato Mineiro 2017



Faltam apenas algumas horas para a bola voltar a rolar nas Minas Gerais e pelo terceiro ano seguido temos a honra de apresentar o nosso já tradicional GUIA DO CAMPEONATO MINEIRO versão 2017! Contando mais uma vez com a participação da nossa Enciclopédia de Futebol Mineiro, o grande Wilson Drummond, mais conhecido como Manula que juntamente com este blogueiro irá trazer tudo sobre os 9 times do interior que entram na disputa a partir deste sábado. 

Quem é o candidato a craque? O que pode atrapalhar? Qual o trunfo? E o nosso já consagrado PALPITÔMETRO para os times do interior, a partir de agora:


AMÉRICA
(Teófilo Otoni)


Após amargar  3 anos no Módulo II, o Dragão do Vale do Mucuri conseguiu um improvável acesso em 2016. O elenco é modesto e terá o comando do técnico carioca Marcelo Buarque (ex-base do Flamengo), que teve boa passagem por Teófilo Otoni no Módulo II de 2015. No gol, permanece Doni, capitão da vitoriosa campanha do ultimo ano. Na defesa, o experiente Diego Rosa (ex-Sertãozinho-SP) volta ao Dragão pela terceira vez. Ídolo local (nasceu na cidade), o lateral esquerdo Bruno Barros (ex-América e Atlético) de 34 anos também retorna, para sua quinta passagem no clube. O meio campo tem a experiência de Geovane Lage (ex-Villa Nova). 

O habilidoso armador Luccas Barata (ex-Democrata) é outro remanescente da última temporada. Na frente, o arisco Deyvisson (ex-Anápolis-GO) faz companhia a Rogélio Ávila. Ramon Calopsita (ex-Tupi) é outro atacante habilidoso e driblador. A última contratação foi o veterano centroavante Somália (AQUELE) de 39 anos, cuja ultima partida oficial foi em Julho de 2015. Na pré temporada, o amistoso contra o Linhares-ES foi cancelado, já que o clube capixaba preferiu não viajar ao Vale do Mucuri temendo o surto de febre amarela.


O cara: Rogélio Ávila. Herói da campanha de 2011, em que o América levou pra Teófilo Otoni o título do interior, o atacante volta ao clube após passagens por Cabofriense, CSA, Boavista e pelo futebol de Malta. Atleta alto e forte, pode jogar aberto ou fechar como falso centroavante. Tem 29 anos.

Rogélio Ávila: ao lado de Jonatas Obina em 2011 foi a sensação do Campeonato Mineiro. 
Foto: Caio Lorena/GloboEsporte.com

O que pode ajudar: O acanhado estádio Nassari Mattar é aliado. Apoiado por torcida inflamada, o Dragão dificilmente perde em casa. Especialmente mandando os jogos as 10h da manhã, sob o calor sufocante de Teófilo Otoni.

O que pode atrapalhar: A limitação do elenco. Embora o técnico Marcelo Buarque seja um grande motivador, seu grupo é pouco qualificado. Com pouquíssimas peças para reposição.


Palpitômetro
O bravo Dragão do Mucuri deve mesmo lutar contra o rebaixamento. Caso consiga se manter na elite, a missão estará cumprida. Difícil.



CALDENSE
(Poços de Caldas)


Embalada pelo vice-campeonato de 2015 e duas boas participações na Série D (perdeu o acesso nos pênaltis em 2015 e 2016), a Veterana é novamente uma das equipes mais fortes do interior. O time do jovem e competente técnico Thiago Oliveira (ex-Batatais-SP) de apenas 35 anos, manteve a espinha dorsal, com atletas que jogam juntos há mais de 3 anos. No gol, William Nobre, o Neguete (ex-Villa Nova) vai para sua 3ª temporada no clube. Os experientes Marcelinho (ex-Flamengo) e Rafael Estevam (ex-América) estarão juntos mais uma vez. O meio campo ganha a vitalidade de Thiago Carpini  (ex-Guarani) e terá novamente a categoria de Ewerton Maradona, em seu 8º campeonato mineiro em Poços de Caldas. 



No ataque, destaque para o retorno do veloz Cristiano Manchado (foto) um dos destaques da equipe na campanha do vice-campeonato mineiro em 2015 e que teve passagem apagada pelo América. O artilheiro Rafamar (ex-Moto Club) também volta ao clube nesta temporada e o oportunista Zambi completa o ataque. Na pré temporada fez três amistosos: perdeu (1x2) para o Ituano em Itu, venceu o Independente em Limeira (1x0) e perdeu (0x2) para o São Caetano em Águas de Lindóia.

O cara: O veterano Ewerton Maradona é o “dono” do time. Meia armador clássico, sabe cadenciar e distribuir o jogo com maestria. Aos 34 anos, ainda joga em muito bom nível.

Ewerton Maradona: caminhando para entrar no hall de lendas do interior

O que pode ajudar: Clube bem gerido e organizado, a Caldense aposta na continuidade. Mantendo a base vitoriosa dos últimos anos, a tendência é que a Veterana faça outra boa campanha.

O que pode atrapalhar: A alta média de idade, pode cobrar seu preço. Alguns dos principais atletas (Marcelinho, Carpini, Ewerton) do time, tem mais de 30 anos. E terão que enfrentar o calor de Patos de Minas, Tombos e sobretudo Teófilo Otoni.

Palpitômetro
A Caldense entra novamente forte no campeonato. Tem tudo pra ser outra vez um dos destaques do interior. Entra na briga para chegar nas semifinais; é quase certo que a Veterana garanta uma das três vagas mineiras para Série D 2018.


DEMOCRATA
(Governador Valadares)


Depois de cair em 2015, a Pantera Valadarense volta à elite como campeã do Módulo II. Envolvido em imbróglio jurídico que culminou com prisão do ex-presidente Edvaldo Soares, o clube passa por muitas dificuldades financeiras. O técnico será o experiente Eugênio Souza (campeão brasileiro da Série D 2014 com o Tombense) e que comandou a equipe no titulo de 2016. O gerente de futebol é Amarildo Ribeiro (ex-Nacional de Nova Serrana), grande conhecedor do futebol mineiro. No gol, a briga será boa entre Luis Fernando (vem do futebol de Myanmar) e Alencar (ex-base do Cruzeiro). A zaga tem Gustavo Rambo (ex-Concórdia) e o experiente Marcelo Bispo (35 anos, ex-Linense).


O lateral esquerdo Iago (ex-Guarani de Divinópolis) é bom jogador. Volante Lucas Pinheiro (ex-Coimbra) volta ao clube. O jovem Matheus Roldan vem por empréstimo do Atlético. Michel Elói (ex-Villa Nova) dá versatilidade ao meio campo, que terá armação de Bruninho (ex-Goytacaz) e Matheus Santana (outro da base do Atlético). O habilidoso e criativo Edinho, destaque da Pantera em 2016, também volta ao clube após passagem pelo Mafra de Santa Catarina. Os atacantes são o habilidoso Marcio Diogo (ex-Ipatinga), Thiaguinho (ex-Cruzeiro) e João Figueiredo (ex-base do Atlético). Na pré-temporada realizou dois amistosos, empatando em 1x1 contra o Social em Coronel Fabriciano e perdeu por 1x2 para o mesmo adversário no Mammoudão em Valadares.

O cara: O experiente atacante canhoto Marcio Diogo foi revelado pelo Cruzeiro, e conhece bem o campeonato mineiro. Já defendeu Ipatinga, Villa Nova e Rio Branco. Aos 31 anos, terá a árdua missão de comandar um time sem estrelas.

Experiente Márcio Diogo buscará suprir a vaga de Francismar, ídolo no Módulo 2 em 2016

O que pode ajudar: A empolgação da torcida, que somada ao calor local, transforma o Mammoud Abbas em um autentico caldeirão. O treinador Eugênio Souza é muito competente. Vencer em casa será fundamental para o Democrata.

O que pode atrapalhar: A limitação técnica do elenco é evidente. Por mais que os atletas e comissão técnica se esforcem, a tendência é que todas as partidas sejam dificílimas para a Pantera.


Palpitômetro
Infelizmente para a torcida valadarense, o Democrata é forte candidato ao rebaixamento. Das 5 partidas como mandante, só 3 serão contra rivais do interior. O desafio é mesmo permanecer na elite.



TOMBENSE
(Tombos)


Estabilizado no cenário mineiro, o "Gavião Carcará" disputa sua 5ª temporada consecutiva na elite. O clube fez boa campanha na última Série C do Campeonato Brasileiro, e manteve vários jogadores importantes do ano passado. Deve ser um dos destaques do interior. O técnico é o catarinense Raul Cabral (ex-Avaí). No gol, permanece Darley, há 4 anos em Tombos. A dupla de zaga também foi mantida: Matheus Lopes (ex-América) e Wellington Carvalho (ex-Fluminense). O bom lateral Gedeilson (ex-Ipatinga) completa a defesa. O meia Coutinho (ex-Vasco) também segue no clube. Assim como o centroavante Daniel Amorim, destaque em 2016. O veloz Tauã (ex -Avaí) e Danilo (ex-Nacional de Muriaé) fecham o ataque. Time forte. Na pré temporada, venceu o Espirito Santo FC (2x1) e empatou com o Nacional de Muriaé (0x0) no Almeidão. Perdeu para o mesmo NAC em Muriaé (0x2).

O cara: Aos 27 anos, o centroavante Daniel Amorim, vive ótimo momento. Em sua 4ª temporada seguida na Zona da Mata, deve usar sua boa estatura e porte físico pra balançar as redes adversárias. É ótimo finalizador e faz bem o papel de pivô.

Daniel Amorim busca brilhar com o Tombense

O que pode ajudar: A organização estrutural de um clube empresa. Com excelente estrutura própria, o Tombense não sofre turbulências financeiras. É clube parceiro do empresário Eduardo Uram.

O que pode atrapalhar: A exemplo de 2016, quando apostou em Pingo (demitido na 5ª rodada), o Tombense traz um técnico estreante em campeonatos mineiros. E sabidamente forasteiros dificilmente se dão bem nas montanhas de Minas.

Palpitômetro
É um dos times mais fortes do interior. Embora a tabela não ajude, pode almejar chegar nas semifinais. Deve fazer outro campeonato correto, na parte de cima da tabela.



TRICORDIANO
(Três Corações)

Foto: Arquivo Tarlei Filho

Salvo da degola em 2016 com uma vitória miraculosa sobre o Atlético no Independência, dessa vez o Galo do Sul vem mais precavido. O técnico (?) é Edinho (ex-Mogi Mirim), filho de Pelé. O goleiro é o experiente Marcão, remanescente de 2016. A defesa tem os bons laterais Rodrigo Paulista (outro que permanece no clube) e Marcelo Tchê (ex-Villa Nova). O zagueiro Wescley (ex-Vasco) é o xerife. No meio o volante Luis Felipe Samurai (ex-Caxias) e Dinélson (ex-Atlético e Corinthians) são os destaques do time. 


No ataque, Carrara (ex-Nacional-SP), Clebinho (ex-Botafogo-SP) e o veteraníssimo Brandão (AQUELE ex-Olympique-FRA) de 37 anos terão a missão de marcar os gols. Rodriguinho (ex-Fluminense) completa o setor. Na pré temporada, perdeu para Marília (0x1) e Nacional SP (1x2), ambas em casa.


O cara: Dinélson. Aos 30 anos, o meia revelado pelo Guarani como craque quer reeditar os bons tempos de Corinthians, Atlético e Coritiba. Armador muito técnico e habilidoso, o meia será o termômetro do Galo do Sul.

Dinélson: parece garoto, mas já vai fazer 31

O que pode ajudar: Depois de conseguir permanecer na elite em seu primeiro ano de retorno, o Tricordiano não será mais visto como “patinho feio”. Sua  torcida é fanática, uma das mais vibrantes do estado.

O que pode atrapalhar: A impossibilidade de mandar alguns jogos no estádio Elias Arbex. Jogando em Pouso Alegre, o Galo perde muito em poder de fogo. E apostar no técnico (?) Edinho, é no mínimo, garantia de fortes emoções.

Palpitômetro
Embora venha empolgado e com alguns nomes conhecidos, a luta do Galo deve ser novamente a permanência na elite. Somar pontos em Governador Valadares e Teófilo Otoni pode ser determinante.



TUPI
(Juiz de Fora)

Foto: Felipe Couri

Rebaixado na Série B 2016, o Galo Carijó vive momento de total reformulação. A presidente Myrian Fortuna tenta estabilizar o clube financeiramente. O técnico é o polêmico Éder Bastos (ex-atleta do Cruzeiro e auxiliar de Ney Franco no São Paulo). O goleiro é o experiente Gideão (ex-Náutico). Fernandão (ex-CAP Uberlandia) comanda a defesa, que terá tambem Kadu Fernandes (ex-Bangu). O volante Marcel é um dos poucos remanescentes de 2016. Ao seu lado estará Bonilha (ex-base do Fluminense). Juninho Matozinhos (ex-Tupynambás) ditará o ritmo no meio campo, que também mostrará Mateus Pato (outro ex-base do Fluminense).  Flávio Caça Rato (ex-Santa Cruz) e o habilidoso Jajá (ex-Cruzeiro) serão os atacantes. Na pré temporada, empatou em 1x1 contra o Bangu no Mário Helênio.

Menção honrosa: Flávio Caça Rato, a lenda jogará pelo Tupi em 2017
O cara: Juninho Matozinhos. Meia armador clássico de ótima técnica, será o maestro do time. Jogador conhecido no futebol mineiro (ex-Democrata-SL, Minas Boca, Villa Nova, Tupynambás), tem excepcional aproveitamento nas bolas paradas.

Juninho, um dos poucos remanescentes de 2016


O que pode ajudar: Como o Tupi tem presença garantida na Serie C, o campeonato mineiro não é prioritário. A tendência é que o Galo Carijó use o estadual como laboratório. E jogar sem pressão pode ser vantajoso.

O que pode atrapalhar: O técnico Éder Bastos tem histórico de relacionamento conturbado com jogadores. Em um campeonato curto como o mineiro, pode acabar sendo fatal.


Palpitômetro
Vivendo período de dificuldades financeiras, o elenco do Tupi é limitado. Dessa vez, o Galo de Juiz de Fora deve figurar na parte de baixo da tabela. Fará campanha discreta, tentando evitar os riscos de rebaixamento. 



UBERLÂNDIA


Um dos clubes mais bem estruturados do interior, o Verdão chegou a liderar o torneio em 2016. A expectativa é brigar pelas primeiras posições do campeonato. O técnico é o ótimo Paulo Cezar Catanoce (ex-Tricordiano). No gol, Thiago Braga (ex-Villa Nova) volta ao clube. A zaga conta com Robinho e Mauro Viana, dupla que foi muito bem na URT na última temporada. Thiago Baiano (ex-Boa) é lateral versátil e ofensivo. No meio, as opções são muitas: João Paulo (outro ex-Villa Nova), Bruno Moreno (ex-São Paulo) e Juninho Arcanjo (ex-Atlético) jogaram juntos no Tricordiano em 2016. O habilidoso Alê permaneceu no Triângulo. 

Marco Goiano (ex-Tupi) também é bom jogador. No ataque, Vanger (ex-Boa), Reinaldo Alagoano (ex-Cruzeiro) e Caio Dantas (ex-Caldense) prometem muitos gols. Verdão é uma das grandes forças do interior. Na pré-temporada empatou em 1x1 contra o Vila Nova-GO em Uberlandia e 1x1 contra o Goiás em Goiânia, além de perder 0x1 para o Botafogo em Ribeirão Preto.

O cara: Aos 33 anos, Juninho Arcanjo vive bom momento técnico. Jogador com habilidade acima da média, deve ser o termômetro de um meio campo muito forte. Ainda joga em bom nível.

Juninho AQUELE é o cara do Uberlândia

O que pode ajudar: A variedade de opções em um elenco de muita qualidade. O treinador poderá escalar várias formações diferentes, mantendo sempre um time bem montado.

O que pode atrapalhar: O histórico recente de perder o fôlego na reta decisiva. Após liderar o campeonato, UEC sofreu 6 derrotas seguidas e ficou fora da Serie D em 2016. Nesse ano, novo insucesso não será tolerado pela exigente torcida alviverde.

Palpitômetro
Uberlândia mira o topo da tabela. Deve brigar pra chegar no mínimo nas semifinais. O estádio é excelente, a torcida apóia e o time é muito bom. Tem tudo pra ser destaque em 2017.



URT
(Patos de Minas)

Foto: Toninho Cury/AG Esporte

Embalado pela ótima campanha e o título do interior em 2016, o Trovão iniciou o ano bem animado. Mas divergências administrativas, afastaram do clube o gestor Marcio Malamud. E com ele, boa parte dos investimentos também se foram. O técnico é o jovem Rodrigo Santana (ex-Juventus-SP), estreante em Minas Gerais. O goleiro Juninho (ex-Atlético) defenderá a meta azul. Na defesa, o zagueiro Luan Menegaz e o lateral esquerdo Fabinho permanecem. 


O meio campo é forte. Allan Dias (ex-Remo), Vinicius Hess (ex-Boa), o canhoto Carlinhos (ex-Mogi Mirim), o veterano Cascata (ex-América RN) e Marcus Vinicius (ex-Londrina), são todos bons jogadores. Falta poder de fogo na frente. O jovem Gabriel Ceará (ex-Criciúma) e Yan Gomes (remanescente de 2016) são as apostas. Na pré-temporada, enfrentou 2 vezes o Crac GO (2x1 em Patos e 0x1 em Catalão) e venceu o Patrocinense 3x1 em casa.


O cara: Allan Dias. Meio campista de muita força e boa técnica, deve ser a força motriz da equipe. Formado na base do São Paulo, defendeu vários clubes do futebol paulista.

Allan Dias: experiente meia é o toque de qualidade no meio campo da URT

O que pode ajudar: A força da torcida no estádio Zama Maciel. Pelo 2º ano seguido, a URT mandará 6 jogos em Patos de Minas. E o Trovão dificilmente é batido em casa.

O que pode atrapalhar: A instabilidade financeira causada pela saída do gestor paulista Marcio Malamud. Com essa perda, a pré temporada em SP foi cancelada e alguns jogadores (Felipe Assolan, Bruno Neves, Marcos Nunes entre outros) deixaram o clube. Podem fazer falta.

Palpitômetro
Dificilmente o Trovão Azul repetirá o sucesso de 2016. Esse ano deve mesmo é brigar para conquistar uma das vagas na serie D. Não será fácil.



VILLA NOVA
(Nova Lima)



Sob administração de nova diretoria desde novembro, o tradicional Leão do Bonfim espera viver dias melhores. Há muito tempo não se vivia tanta expectativa em Nova Lima. O técnico é o excelente Leston Junior (ex-Tupi), um dos nomes mais promissores do Brasil. No gol, o experiente Fernando Henrique (ex-Fluminense) transmite segurança e tranqüilidade.  A defesa tem a forte bola parada do lateral Osvaldir (ex -Remo). Os conhecidos Gladstone (ex-Cruzeiro) e Mateus (ex-Portuguesa) comandam a grande área. Bruno Ré (ex-Mogi Mirim) completa a retaguarda. Os volantes são os versáteis Leandro (ex-URT), Jhonathan Moc (ex-Operário-PR), Luis Mário (ex-Mirassol) e China (ex-América). O diferenciado armador Tchô (ex -Atlético) volta ao clube. Leônidas (ex-Goiás) e Djalma completam o setor. 
Na frente, as opções são muitas: Felipe Augusto (ex-Estoril POR) , Arthur Faria (ex-Madureira), Renato Kayser (ex-Vasco) e o canhoto Leozinho (ex-Fortaleza) alimentarão os homens de referencia Roni Rei (ex-Mogi Mirim) e Giancarlo (ex-Macaé). Realizou pré-temporada no interior de São Paulo onde venceu o Paulista (2x1) em Jundiaí e o Bragantino (3x1) em Bragança.


O cara: Fernando Henrique. Goleiro campeão mundial com a Seleção sub 20, foi titular muitos anos do Fluminense. Craque dentro e fora de campo, disputará seu 1º mineiro aos 33 anos. Um bom time começa com um grande goleiro.

Fernando Henrique é a segurança no gol do Villa
Foto: Viviane Pinheiro/Ag.Diário

O que pode ajudar: O estudioso Leston Junior é muito diferenciado. Treinador de primeiríssima linha, conseguiu montar um plantel muito equilibrado. Será um dos maiores técnicos do Brasil. Em um futuro bem próximo.

O que pode atrapalhar: Ainda que conte com a boa vontade da nova administração e da torcida, o clube estava totalmente sucateado. A estrutura precária levará um certo tempo pra ser corrigida. E a bola não entra por acaso.

Palpitômetro
O Leão vem encorpado e pode rugir forte. Mas as semifinais são sonho um tanto distante. O clube se dará por satisfeito de conseguir garantir uma das vagas na Serie D. Deve conseguir. 




Todos devidamente apresentados, do "litoral" ao "triângulo" que a bola role e que tenhamos um ótimo campeonato nos próximos meses. Dá-lhe Pão de Queijo!
Lembrando que mês que vem teremos o Guia do Campeonato Mineiro do Módulo 2, o maior campeonato do mundo!
Siga no Manula no Twitter => @ManulaMG