5 de maio de 2017

Participantes da Segundona Mineira 2017 já são conhecidos


Foram anunciadas nesta quinta-feira as equipes que disputarão a Segunda Divisão do Campeonato Mineiro de 2017. A informação foi antecipada pelo Blog da Segundona Mineira do jornalista Vitor Lima e consta que apenas onze agremiações se inscreveram junto a Federação Mineira de Futebol com a intenção de jogarem a última divisão do futebol em Minas. Na lista há novidades positivas, negativas, retornos e também estreias em competições profissionais.

Casimiro de Abreu (Montes Claros), Betis (Ouro Branco), Inter de Minas (Uberlândia), Coimbra (Belo Horizonte), Democrata (Sete Lagoas), Figueirense (São João del Rei), Ipatinga, Poços de Caldas, Ponte Nova, União Luziense (Santa Luzia) e Atlético (B) oficializaram a participação no torneio que deve acontecer de agosto a novembro desde ano. Das equipes que disputaram a Segunda Divisão ano passado, somente três equipes retornam: Coimbra, Ponte Nova e União Luziense.

O conselho técnico da Segunda Divisão acontece no próximo dia 16 de maio, na sede da FMF em Belo Horizonte e então serão definidas as datas e a fórmula de disputa da competição deste ano.

Ausências sentidas


A maior ausência na lista é a do tradicionalíssimo Valério Doce de Itabira. O time que caiu em 2010 e não conseguiu mais retornar ao Módulo 2 anunciou que não disputará o torneio por questões econômicas. De acordo com o presidente Luiz Antônio de Oliveira em entrevista do jornal De Fato Online, o clube deve hoje quase R$ 8 milhões e apesar de ter categorias de base ativas, não tem condições de entrar numa disputa profissional em 2017. “Disputamos campeonatos, mas por trás não está legal. São dividas, processos e os compromissos do clube não estão em dia”, desabafa o presidente. De acordo com o jornal itabirano, o clube ainda deve cerca de R$ 23 mil em taxas à FMF o que inviabilizaria a participação do time este ano.

Outra ausência tradicional é a do Siderúrgica de Sabará. O campeão mineiro de 1937 e 1964 era presença constante nas últimas edições do torneio, porém este ano não se inscreveu para a disputa. Um dos rebaixados no ano passado, a SEP (Sociedade Esportiva Patrocinense) que vinha representando Patrocínio nas últimas disputas também não entrará no torneio, provavelmente devido ao sucesso do CAP (Clube Atlético Patrocinense) que inclusive possui grandes chances de subir para a elite do futebol mineiro.

Além destes, Arsenal (Santa Luzia), Esportiva Guaxupé, Santarritense (Santa Rita do Sapucaí), Jacutinga e Venda Nova (BH) que disputaram a competição em 2016 não retornam este ano.

Duelo entre Siderúrgica e Valério em 2016: duas camisas pesadas
que estarão fora deste campeonato. Foto: DeFato Online


Estreias

As caras novas desse ano ficam por conta de duas equipes: Inter de Minas de Uberlândia e Betis de Ouro Branco. O time do triangulo mineiro foi fundado em 2014 e se profissionalizou este ano para a disputa da Segunda Divisão. O Inter disputa várias competições de categorias de base e recentemente abriu seletiva para a montagem de um time feminino. Com as cores do tradicional Inter de Porto Alegre, será o terceiro representante de Uberlândia, ao lado do UEC no Módulo 1 e o CAP (Clube Atlético Portal) no Módulo 2.


O Betis de Ouro Branco na região metropolitana da capital é outro que fará sua estréia em competições profissionais. O time já disputa os torneios de base da Federação Mineira de Futebol e conseguiu seu registro profissional este ano para entrar na disputa da Segundona.







Retornos

Após alguns anos licenciados Poços de Caldas e Democrata de Sete Lagoas retornam as competições profissionais prometendo lutar pelo acesso ao Módulo 2. O “Vulcão” do Sul de Minas fundado em 2007 chegou a fazer boas campanhas nas divisões de acesso entre 2008 e 2012, sendo a melhor delas em 2010 quando bateu na trave terminando o Módulo 2 na 3ª posição e não subindo por apenas 1 ponto. Em 2013 após ter anunciado contratações de peso como o atacante Finazzi e o meia Amaral, o clube alegou crise financeira e se licenciou das atividades profissionais. No final do ano passado um grupo de investidores de São Paulo iniciou as conversas para reativar o profissional do Poços, o que foi concretizado este ano e o time estará novamente em campo pela Segundona.

Poços de Caldas: o Vulcão promete voltar forte na Segundona

O Democrata de Sete Lagoas é outro que retorna após dois anos de ausência. Em 2015 em sua ultima participação na Segunda Divisão apostou em medalhões como o meia Ramon, ex-Atlético e Flamengo e o atacante Alex Dias e não conseguiu sequer passar da primeira fase, se licenciando após o término da competição por motivos financeiros. Com 38 participações na elite estadual e três vice-campeonatos (1955, 1957 e 1963), sua última aparição na principal divisão de Minas foi em 2008 e de lá pra cá teve idas e vindas entre a Segundona e o Módulo 2, tendo fechado inclusive parceria com o Atlético nos anos de 2010 e 2011 quando contou com jogadores como Bernard, Marion, Jemerson e vários outros que passaram pelo time principal do Galo. O Jacaré se reestruturou pensando em voltar a elite e reviver os bons tempos do futebol em Sete Lagoas como declarou o novo presidente, Jaime Aleluia em entrevista ao jornal Sete Dias. “Não temos outra opção a não ser subir para o Módulo II em 2017. Vou ser mais ousado, acredito que no fim do meu mandato o Democrata estará na 1ª Divisão”, declarou. 

Bernard com a camisa do Democrata Jacaré em 2011

Uma grata surpresa que volta ao cenário do futebol mineiro é o Casimiro de Abreu de Montes Claros. Após muita especulação entre Ateneu, Montes Claros FC, Funorte e o recém criado Victoria sobre quem iria representar a capital do norte mineiro no torneio, o Casimiro ressurgiu das cinzas e oficializou sua participação. O clube disputou a elite estadual por 4 edições porém a última foi no longínquo ano de 1973. Leia mais neste link sobre a saga do futebol de Montes Claros no cenário mineiro.


Ipatinga 

Após a queda no ano passado, o Tigre do Vale do Aço que foi a sensação do interior mineiro na última década promete resgatar a força que lvou o time ao título mineiro de 2005 e a elite do futebol brasileiro em 2008. Com os retornos de Itair Machado (extraoficialmente, já que o presidente é Christiano Araújo) e Amarildo Ribeiro no comando do futebol, o Tigre já anunciou o experiente Wantuill Rodrigues para o comando técnico e nomes conhecidos do cenário mineiro como o meia Luizinho, ex-Flamengo, o atacante Kanu e o goleiro Alencar, ex-Democrata-GV. Com o estádio Ipatingão abandonado, a diretoria correrá contra o tempo para realizar as reformas necessárias para que ganhe condições de jogo até a data da estreia na competição.

Profundo conhecedor do interior, Wantuill tem a missão de reconduzir o Tigre


Atlético 

A maior novidade da competição em 2017 com certeza será a presença do Atlético. O clube oficializou junto à federação a criação do Time B que contará apenas com jogadores abaixo de 23 anos. A intenção do Galo é oportunizar os atletas recém saídos das categorias de base do clube e também observar jovens talentos no interior mineiro. Alguns jogadores como o zagueiro Mateus Mancini de 22 anos contratado junto ao Botafogo de Ribeirão Preto e o atacante Rafael Furtado de 17, emprestado do Paraná Clube devem ser observados no Time B do Galo.


Além disso outros atletas oriundos das categorias de base e que até vem integrando a equipe profissional poderão ganhar mais rodagem na disputa da Segundona. Vale lembrar que o Atlético já tentou um projeto parecido com o Democrata-SL quando emprestou toda a categoria de base para o time vermelho e branco, tendo aproveitado posteriormente atletas como Bernard, Marion, Sidimar, Wescley e Jemerson no time principal. Na época, o técnico era Rogério Micale, que depois conquistou o Ouro Olímpico com a Seleção Brasileira.

Atualmente no Brasil, Grêmio e Internacional possuem times alternativos que disputam a terceira divisão estadual utilizando atletas da mesma faixa de idade. Apesar da intenção do Galo ser apenas a revelação de jogadores, o Atlético B poderá subir ao Módulo 2, mas não poderá ascender a primeira divisão.