1 de novembro de 2017

O próximo Módulo 2 já começa a ser desenhado


A Federação Mineira de Futebol divulgou ontem o edital de convocação para os times que disputarão o Campeonato Mineiro do Módulo 2 no ano que vem, já incluindo o Ipatinga e o Democrata-SL que subiram da Segundona terminada no último final de semana. O arbitral será realizado no dia 13 de novembro na sede da Federação e contará com 12 equipes: além dos recém promovidos, participarão Betinense, CAP Uberlândia, Uberaba, Mamoré, Guarani, Tupynambás, Nacional de Muriaé, Social e os recém rebaixados do Módulo I, Tricordiano e América-TO.

A expectativa fica por conta da fórmula de disputa que poderá ser modificada após 2 anos do formato atual. Porém, a fórmula atual parece agradar a maioria dos times, por causa da diminuição de custos das viagens e deslocamentos menores. Se seguir a lógica geográfica, teremos no grupo A: CAP Uberlândia, Uberaba, Mamoré, Guarani, Democrata-SL e Betinense e no Grupo B: Ipatinga, Social, Tricordiano (que jogará em São Gonçalo do Rio Abaixo), Tupynambás, Nacional e América-TO.


Movimentação dos times

Alguns times já começaram o planejamento e a montagem do elenco para a disputa que deve ser iniciar somente no início do mês de fevereiro. Pelo lado do provável Grupo A, o Uberaba anunciou o técnico Neto Pajolla (foto) que trabalhou na última temporada como auxiliar técnico da URT na belíssima campanha que levou o time de Patos ao “título do interior” no Módulo I. Neto terá a missão de comandar um jovem time do Zebu que busca o acesso já há algum tempo. No Mamoré as novidades também se concentram somente fora de campo. A nova diretoria comandada por Kelson Clemente anunciou na última semana já o lançamento dos passaportes para os jogos da equipe na competição, mas o time ainda não tem novidades. A expectativa é anunciar o treinador e os primeiros reforços até o final da próxima semana.

No Guarani ainda muito mistério em relação à montagem do time profissional, já que as categorias de base do Bugre seguem a todo vapor em diversas categorias. O mais cotado para assumir o comando é Gian Rodrigues que tem 2 passagens pelo time de Divinópolis, incluindo na disputa da Série D do Campeonato Brasileiro em 2012. O CAP Uberlândia já está no mercado e deve fechar com reforços experientes como Diogo Marzagão e Tiago Azulão de bastante rodagem no interior de Minas. O Betinense segue sem novidades dentro e campo e fora dele a mudança poderá ser de sede. Em vez da Arena do Jacaré que dessa vez será ocupada pelo dono da casa, o time pode rumar para Nova Serrana, região centro-oeste do estado onde provavelmente mandará seus jogos. E o Democrata se esforçará para manter a base do time que conseguiu o acesso da Segundona, principalmente os líderes do elenco como Carciano, Rodrigo Dias e os destaques Juninho Matozinhos e Baianinho.


Do outro lado ainda sem muitas novidades, principalmente pelo lado de América-TO e Social. O time do vale do mucuri por enquanto lançou apenas um modelo de camisa através do seu twitter oficial. O Social realizou um processo de “peneira” para captar jogadores na região do Vale do Aço e deverá aproveitar alguns atletas em seu elenco para o Módulo 2. O Tupynambás que em 2017 entrou somente para se manter e acabou se classificando para o hexagonal final, deverá ter o mesmo treinador Ludyo Santos no comando. Já o Nacional de Muriaé anunciou em agosto a contratação de Márcio Pereira para tentar reconduzir o time a elite. O Nacional é outro clube que realizou uma “peneira” para tentar captar jogadores abaixo dos 23 anos na região da zona da mata para compor o elenco para o Módulo 2. 

O Tricordiano é sempre uma incógnita, ainda mais depois da mudança de casa. O time de Três Corações deixou o sul de Minas após o imbróglio com a prefeitura por causa do estádio Elias Arbex e vai desembarcar em São Gonçalo do Rio Abaixo, cidade de apenas 10 mil habitantes próxima a João Monlevade. Assim como no campeonato passado, o time terá um treinador “de nome” no comando. Se em 2017 foi Edinho, filho de Pelé, ano que vem será Reinaldo, ídolo do Atlético.

O Ipatinga entra como o grande favorito na disputa, principalmente se manter a base que acabou de ser campeã da Segundona. A diretoria do Tigre não deve ter dificuldades de manter o técnico Eugênio Souza e trabalhará para manter os jogadores chave como Francismar, Luizinho, Alencar e o artilheiro Paulo Henrique.